A prática regular de atividades físicas reconhecidamente promove benefícios na saúde e na qualidade de vida da população. E, nas últimas décadas, tem havido um crescente interesse sobre seu impacto na evolução de diversos transtornos psiquiátricos (como transtornos depressivos, transtornos de ansiedade, transtorno bipolar e esquizofrenia), quando  integrada à abordagem terapêutica multidisciplinar que deve sempre abranger o tratamento medicamentoso, a psicoterapia, a prevenção e o tratamento de doenças médicas clínicas associadas, e a promoção de hábitos de vida saudáveis (manter uma rotina de horários e cuidar da qualidade do sono para a regulação dos ritmos biológicos, manter uma alimentação adequada, evitar o consumo de álcool, drogas, e o tabagismo, por exemplo).

Diversos estudos descreveram que a taxa de mortalidade entre os portadores de transtornos psiquiátricos é cerca de 2 a 3 vezes maior do que a encontrada na população geral, e que a expectativa de vida pode ser reduzida em até 15 a 30 anos. Isso pode ser explicado pelo maior risco, nessa população, de apresentar obesidade, diabetes tipo II, síndrome metabólica, e suas complicações. A síndrome metabólica é definida por um conjunto de parâmetros clínicos que incluem o índice de massa corpórea (IMC= peso/altura ²), a circunferência abdominal, os níveis de glicemia, triglicérides e colesterol, pressão arterial, e seu diagnóstico se relaciona ao aumento no risco de doenças cardiovasculares, como infarto do miocárdio e acidentes vasculares cerebrais (AVC).

São vários os fatores que podem estar associados a esse maior risco. Em primeiro lugar, temos que destacar os hábitos de vida. O sedentarismo, o tabagismo, o consumo excessivo de álcool, a alimentação inadequada, e a rotina irregular do ciclo sono/vigília estão relacionados ao maior risco de alterações metabólicas. Temos, ainda, os fatores de natureza biológica, como alterações na regulação do cortisol, alterações inflamatórias,  e predisposição genética. O uso de medicamentos pode também se relacionar ao maior risco de ganho de peso e de alterações metabólicas.

Como a prática regular de atividades físicas pode ajudar? Inicialmente, auxilia no controle do peso e na prevenção da obesidade e de suas consequências. Quando nos engajamos, a prática de exercícios físicos estimula a manutenção de hábitos de vida saudáveis e ajuda a regular os ritmos biológicos. Ainda, diversos estudos descreveram que exercícios aeróbicos, ioga, tai-chi, por exemplo, apresentaram um importante papel na redução de sintomas depressivos e ansiosos em portadores de transtornos psiquiátricos. Vamos lá?

Fontes:

Rosenbaum et al. Physical activity interventios for people with mental illness: a systemaic review and meta-analysis. J Clin Psychiatry, 2014. Doi: 10.4088/JCP.13r08765.

Almeida KM, Macedo-Soares MB, Issler CK, Amaral JA, Caetano SC, Dias RS, Lafer B. Obesity and metabolic syndrome in brazilian patients with bipolar disorder. Acta Neuropsychiatrica 2009; 2: 84-88.

Dipasquale S, Pariante CM, Dazzan P, Aguglia E, McGuire PM. The dietary pattern of patients with schizophrenia: a systematic review. Journal of Psychiatric Research 2013; 47: 197-207.