As indicações são precisas: depressões graves, com alto risco de suicídio (pela rapidez da resposta, que aumenta a segurança para o paciente); depressões que não respondem ao tratamento com antidepressivos (cerca de 50% dos casos melhoram com a ECT); episódios de mania grave ou que não respondem ao tratamento com medicamentos (pela rapidez de resposta); depressões graves ou episódios de mania em gestantes (pela segurança para o feto, pois não oferece risco de malformações, e para a gestação); em idosos que têm outras doenças clínicas.